Como Design Thinking pode trazer mais inovação para sua empresa

15 dezembro, 2016 - CHECKMOB Official

Nem uma grande ideia surge do nada, nem apenas uma grande ideia pode representar a inovação. Hoje, sabe-se que boas ideias surgem de muito esforço e o cérebro pode ser treinado para isso, com técnicas de Design Thinking, por exemplo. Mas também, a inovação dentro das empresas pode ser representada em “pequenas grandes ideias”. Ou seja, pequenas mudanças, mas que acabam melhorando processos diários.

Blockbuster, Kodak e Blackberry são só alguns exemplos que provam que inovação é o que mantêm empresas vivas. Segundo o estudo 2015 Breakthrough Innovation Report, da consultora Nielsen, apenas 10% dos produtos lançados conseguem sobreviver mais de um ano no mercado. Conhecer muito bem os concorrentes e a concorrência é só o primeiro passo para não ficar para trás. Mas para ficar na frente, é necessário muito mais.

O Design Thinking consiste em uma abordagem que coloca as pessoas no centro do desenvolvimento e facilita a organização de informações com o objetivo de encontrar soluções inovadoras. Ele consiste em 4 etapas que duram de 1 a 4 dias, aproximadamente:

  • Imersão: entendimento das adversidades. Nessa fase, é importante pesquisar tudo sobre o que se deseja solucionar, a começar pela observação das pessoas que lidam diretamente com o problema. É necessário realizar entrevistas e buscar saber o máximo sobre o assunto em questão.
  • Ideação: aqui começa a fase de criação. Ela pode ser rápida ou demorar dias, o importante é ter paciência. Alguns especialistas dizem que para se ter uma boa ideia, é necessário pensar exaustivamente no problema (escrever, desenhar, observar, fazer protótipos e etc.) e quando você menos esperar, uma boa ideia virá.
  • Prototipação: é hora de levar sua criação a campo. Busque testá-la com as mesmas pessoas da fase de imersão, que convivem com o problema, e lembre-se de abraçar sugestões e possíveis melhorias.
  • Desenvolvimento: enfim, a aplicação da resolução. Sempre com a possibilidade de aprimoramento.

O Design Thinking pode ser aplicado em qualquer empresa, independentemente de seu porte.

Por exemplo, como o foco da abordagem está nas pessoas, a equipe de vendas da sua empresa pode utilizá-lo para enxergar o mercado com os olhos do cliente. Assim, é importante abandonar o foco nos padrões passados. Muitas vezes, as pessoas acabam ficando presas a processos repetidos, na mesma rotina, nos mesmos lugares, e isso acaba inibindo a possibilidade de criatividade. Quanto maior for o estímulo, mais conexões entre ideias se tornam possíveis.

O processo criativo também pode ser auxiliado com um Brainstorming. Mas um fato curioso é que muitas vezes não é a falta de boas ideias que atrapalham a inovação, mas sim, a falta de investimento para executá-las. É muito importante dar mais atenção a esse quesito e acreditar.

O problema, é que é difícil investir em uma ideia sem saber se ao final, ela irá dar certo ou quando poderá trazer retorno. Pode parecer clichê, mas é nessa hora que não dá para ter medo de errar. A primeira impressora a laser, por exemplo, apesar de revolucionária era extremamente lenta e fazia uma página por vez. Hoje, algumas delas conseguem imprimir documentos em 3 segundos…

Além disso, em muitos casos, infelizmente o que se vê dentro das empresas é uma incoerência com o discurso e a prática. Todos sabem que inovar é crucial, mas mesmo sem perceber, acabam deixando isso de lado…. Seja com o líder que não escuta as sugestões de seus colaboradores, com reuniões que não abrem espaço para questionamentos e participações dos funcionários ou até pela falta de investimento nas pessoas, que acaba por desmotivá-las.

O estudo da consultoria Imaginatik mostrou que 95% dos respondentes (a maioria de grandes empresas), acredita que a busca por inovação deve ser prioridade nas empresas. Mas, 44% deles disseram que suas empresas investiram menos de 2% nesse quesito.

O primeiro passo é construir uma cultura corporativa que abra mais espaço para discussões e sugestões dos funcionários. As vezes a ideia está ali, só precisa ser dada a ouvidos.

Todos possuem capacidade para fornecer soluções, mas muitas vezes, alguns se destacam. Esses, são os Design Thinkers, que devem ser envolvidos desde o começo dos processos para melhorar a fluidez de ideias. É importante tomar cuidado para não inibir seu processo criativo. Toda ideia, por mais absurda que possa parecer, deve ser considerada. Nem que seja apenas para abrir espaço para outra melhor.

Com o uso dessas práticas, fica mais fácil proporcionar uma experiência mais satisfatória para o consumidor. Afinal, eles são o foco do Design Thinking. E então, quando esse processo se tornar um hábito na sua empresa, a inovação virá naturalmente.

 

Veja também: A transformação digital e o futuro das empresas

CHECKMOB Official

CHECKMOB Official

O CHECKMOB é um sistema web/mobile feito para automatizar processos de trabalho de equipes de campo através do uso de tablets e smartphones ao invés do papel, reduzindo o tempo perdido em atividades manuais, controles paralelos e deslocamentos desnecessários.

Menos papel, mais produtividade e informação confiável.
CHECKMOB Official

Últimos posts por CHECKMOB Official (exibir todos)